7.2.06

Sabores da Infância



Em Santa Vitória do Palmar, quase lá na fronteira com o Uruguay, existe um pão que se chama Media Luna (Meia Lua).
É um croissant. Ou quase. Em vez de dobrar a farinha com manteiga, os mergulhões, como são chamados os brasileiros que vivem lá e que têm sangue ou pais (ou filhos) argentinos ou uruguaios, fazem a massa com banha. Ou graxa, como se diz lá.
Fica com sabor mais rústico mas nem por isso menos gostoso que o tradicional pãozinho francês.
No Bar do Chico comíamos sempre a Media Luna no café, com manteiga feita em casa (nata batida a mão) ou no almoço, com uma maionese batida na hora com alho e umas folhihas de salsinha.
Quem falava em colesterol naquela época?
Mas o pão continua lá.
Quem for para aqueles lados da fronteira, prove.

2 comentários:

Teia disse...

Giácomo,

Não se falava nem em colesterol, nem em contagem de calorias.
Eu, por exemplo, comia media-lunas com nata e schmier. Aliás, uma grossa camada de nata.
Terrivelmente bom e sem um pingo de culpa.
;o)))))

Um grande abraço prá ti !

Giacomo disse...

Pois é...
Calorias???
A gente gastava tudo com esporte, brincadeiras, diversão.
E comida - toda! - só fazia bem!
Agora...